Translate this weblog

21 de Setembro de 2010

Conhecer o mundo...

Pôr a mochila às costas e conhecer o mundo, sem dúvida que é uma aventura inagualável!
A expressão “conhecer o mundo” pode ser levada a cabo por diferentes formas de acordo com a personalidade e temperamento de cada um. O certo é que conhecer todos esses mundos é de alguma forma um querer obter mais informação sobre algo.
No meu caso, identifico esta expressão “conhecer o mundo” ao adquirir mais informação a nível de países, pois tal citação está acompanhada por “ponho a mochila às costas” o que suscita igualmente aventura, o descobrimento do que nos rodeia. Simplesmente é pisar um país desconhecido com o intuito de saber mais sobre ele e, com isso enriquecer a nossa cultura geral e sobretudo o nosso currículo.
Definitivamente o título desta postagem remete-me a expandir novos horizontes. Todo o ser humano deveria estar apto a fazer uma pausa na sua vida, tirar férias da cidade que se encontra agora tão poluída e destruída pela mão humana, e, deixar-se levar pela curiosidade da busca do conhecimento por parte de outros países. Aventurar-se no desconhecido, dar um tiro no escuro e ir de forma aleatória percorrer todos os países que se encontram neste mundo! E mediante essa descoberta emocionante, conhecer-se-ia, obviamente, novas culturas, novas tradições, diferentes formas de vida e por conseguinte cada indivíduo que desfrutasse desta grande viagem moldaria de forma gratificante e enriquecedora o seu modo de ser, visto que o ser humano é algo em constante evolução.
Estas reflexões conduzem-me a pensar em algo que faço questão de um dia, num futuro próximo, poder vir a fazer, falo aqui de InterRail.
Fazer um InterRail é nada mais do que ter um passe com o qual os jovens podem viajar de comboio pela Europa. É um passe flexível na medida que dá acesso a viajar livremente por toda a Europa sem limite de viagens. Não seria uma peripécia impressionante percorrer toda a Europa num mês? O InterRail possibilita-nos descobertas e experiências únicas, isto para não falar que é muito vantajoso o ter no currículo. Facilita-nos visitar a Europa, planear livremente a viagem e os recursos, isto é, pôr realmente a “mochila às costas” com os bens essenciais à existência de um indivíduo, roupa prática, boa disposição e, claro, uma tenda para dormir nos inúmeros parques de campismo que se encontrarão na viagem, o que facilita andar de lugar em lugar conhecendo deste modo novas pessoas, fazendo novos amigos, partilhando culturas estando de mãos dadas com o espírito de aventura, descoberta, camaradagem…
Porque não um dia pôr realmente a “mochila às costas” e fazer tudo isto? O que nos esperaria era nada mais, nada menos do que uma experiência ÚNICA e INESQUECÍVEL.

Um dia será este dia. :)